10/03/2019 – O Plano de Salvação e a Conversão

by

1° TRIMESTRE

A UNIDADE NA TRINDADE / A REBELIÃO DE LÚCIFER /A FORMAÇÃO E NATUREZA DO HOMEM / A QUEDA DO HOMEM E CONSEQUÊNCIAS DO  PECADO /O PLANO DA SALVAÇÃO / REGENERAÇÃO E SANTIFICAÇÃO PARA UNIDADE E COMUNHÃO COM DEUS

OBJETIVOS:

1.     Conceituar arrependimento

2.     Conceituar fé.

INTRODUÇÃO

Nesse estudo trataremos sobre a questão da conversão. Ela é a nossa adesão ao plano da salvação e resposta voluntária à mensagem do Evangelho, ao nos arrependermos dos nossos pecados, depositando a nossa fé em Jesus.

É o ato único de dar as costas ao pecado em arrependimento e voltar-se para Cristo em fé. Portanto, a conversão tem duas condições:

·        A primeira relacionada com o pecado chama-se: ARREPENDIMENTO.

·        A segunda, ligada a Cristo, é a FÉ.

 

Essas duas condições estão interligadas e um a não pode ocorrer sem a outra. Não esqueça! Tudo que é necessário para nossa salvação já foi providenciada por Deus.

 

 

“E dizendo: o tempo está cumprido, e o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no evangelho”.  Mc. 1:15

“E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo” (At 2.38).

 

“Porque pela GRAÇA soi salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus, não de obras, para que ninguém se glorie’. Ef. 2:8)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. ARREPENDIMENTO

A palavra arrependimento tem sido pouco usada nas pregações atuais.  Muitas mensagens somente enfatizam os benefícios que Jesus pode dar. Alguns pregadores, ao fazerem o apelo, esquecem de pedir aos que estão se decidindo, para que declarem que são pecadores e perdidos e que necessitam  de um salvador.

 

O ponto alto da pregação de João Batista, assim como a de Jesus e seus apóstolos era o arrependimento (Mt. 3:1-2; 4:17; At. 2:38). O arrependimento é um gerador de alegria no céu (Lc. 15:10), pois é uma condição absoluta para a salvação.

 

  • O SIGNIFICADO DE ARREPENDIMENTO: No  Antigo  Testamento,  arrependimento  significa  mudança  de  ideia  ou  de  propósito, no sentido de abandonar o pecado, voltando-se  para  Deus  de  todo  o  coração,  alma  e  força  (Ne  9;  Is  19.22). Em o Novo Testamento, o verbo arrepender é mais fortemente  expressado,  pois  significa  “converter-se”  ou  “retornar”,  termos  que  expressam  a  mudança  de  mente,  transformação  do  pensamento,  da  consciência,  das  atitudes,  isto  é,  uma  verdadeira METANÓIA  (grego),  “mudança  da  mente,  mudança  do  homem  interior:  a  mudança profunda e radical da mente”. Quando se passa  pelo  verdadeiro  arrependimento  há  uma  tristeza  sincera  pelo pecado praticado (2Co 7.10) e posterior compromisso  de abandoná-lo para abraçar a vontade de Deus.

 

O arrependimento é:

  • Uma sincera tristeza por causa do pecado, pois não existe arrependimento se não sentirmos DOR pelo pecado cometido. (2 Cor. 7:10).
  • Uma completa mudança de mente e disposição com relação ao pecado, comprometendo-se sinceramente a abandoná-lo. Passamos a enxergar o pecado e o quanto ele é nocivo e entristece a Deus (2 Cor. 5:17).
  • Um senso de culpa e desamparo, com a expectativa da misericórdia de Deus. Sentimos a culpa dos nossos erros e desejamos profundamente o perdão e misericórdia do Senhor. (At.2:37).
  • Um forte desejo de ser salvo por Ele (Jesus). Muitos têm apresentado a salvação coma uma mercadoria barata, dando a impressão de que aquele que a recebe está fazendo um favor para Deus. Quando nos arrependemos de verdade a salvação se torna o nosso maior de desejo e para tanto, estamos dispostos a qualquer coisa por ela. (At.16:29-30).
  • A decisão de prosseguir obedecendo a Cristo. O arrependimento gera em nós o desejo de continuarmos cumprindo a vontade de Senhor. (At. 2:42-43).

 

 

Fé é uma palavra usada no meio cristão  e, até, os não crentes sabem dar uma definição comum para ela: CONFIANÇA.

A palavra confiança também representa bem a ideia bíblica, tanto que no antigo testamento era usada, ao invés da palavra fé.

A fé ocupa um papel importante em nosso relacionamento com Deus. Sem ela não podemos sequer agradar ao Senhor. (Hb. 11:6).

 

Encontramos na Bíblia, mas precisamente no novo testamento, três tipos de fé:

  • O dom da fé (1 Cor. 12:9)
  • A fé como fruto do Espírito (Gal. 5:22)
  • A fé salvifica (que veremos a seguir, de uma forma mais detalhada).

Obs. Esses tipos de fé não estão em ordem de ocorrência ou importância, pois todas são importantes e necessárias na vida cristã.

 

  • FÉ SALVIFICA: É aquela que se manifesta para a nossa salvação, que se volta para Cristo. Não é uma fé intelectual, que simplesmente reconhece fatos do Evangelho como verídicos e aceitáveis. É uma completa entrega das nossas vidas ao Senhor, incluindo três elementos indispensáveis:
  • ELEMENTO INTELECTUAL (conhecimento): É acreditar na revelação de Deus e em toda a Sua Palavra.
  • ELEMENTO EMOCIONAL (aprovação): É o despertar da aula para as suas necessidades aplicando a redenção em Cristo, seguida de concordância e aceitação imediata destas verdades de uma forma pessoal.
  • ELEMENTO VOLITIVO (confiança pessoal): É a consequência dos elementos anteriores. Constitui-se da rendição do coração a Deus e a apropriação de Cristo como Salvador.

 

A fé salvifica e á atividade total de personalidade, e o reconhecimento e a aceitação de todas as verdades bíblicas. Tem a ver com as nossas atitudes e desejo de sermos transformados segundo a imagem de Cristo. Nesse sentido podemos dizer que o oposto da fé não é a dúvida e sim a desobediência.

 

CONCLUSÃO

Conversão é a nossa adesão ao plano da salvação e nossa resposta voluntária à mensagem do Evangelho, ao nos arrependermos dos nossos pecados, depositando a nossa fé em Jesus.

 

share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *